Outros projectos

EntradaProjectos2007Alto do Cidreira, Cascais
Erro
  • JUser: :_load: Não foi possível carregar o utilizador com o ID: 317

Alto do Cidreira, Cascais

No âmbito dos trabalhos arqueológicos de minimização na ZEP da Villa romana do Alto do Cidreira (Carrascal de Alvide - Cascais), levou-se a cabo, numa primeira fase, trabalhos de abertura de valas de diagnóstico mecânicas que tinham como objectivo definir a estratigrafia do local e detectar possíveis vestígios arqueológicos. Estas valas colocaram a descoberto uma série de vestígios, que levaram, numa segunda fase, ao alargamento da área e respectiva intervenção arqueológica com recurso a meios manuais.

Os trabalhos nos terrenos a SO da villa levaram à identificação de dois importantes sítios: um aqueduto romano e uma cabana do final do 3º milénio a.C.            

A secção do aqueduto posto a descoberto possui um comprimento de 46m e uma largura de cerca de 60cm, apresentando-se de uma forma geral bem preservado. Destaca-se uma caixa de decantação, escavada num grande bloco de arenito e revestida a  opus signinum, que se encontra em excelentes condições de preservação. A análise estrutural permitiu, para além de perceber a metodologia construtiva aplicada, verificar que estamos perante dois momentos construtivos: uma primeira fase, constituída por um canal central de perfil quadrangular, que se encontra, no sector Oeste, coberta por uma 2ª fase de reparação, onde o canal central apresenta um perfil semi-circular em opus signinum. Uma análise preliminar dos artefactos relacionados com a estrutura não permite dados claros quanto às suas épocas de construção, funcionamento e abandono. Os materiais associados às camadas que enchem e cobrem o aqueduto são na sua grande maioria fragmentos de cerâmica comum, rolados ou muito rolados, de formas com uma larga previvência temporal pelo menos entre os séculos I e V d.C.. Uma taça de perfil completo encontrada nas camadas de enchimento da caixa de decantação, aponta para uma cronologia dos séculos I-II d.C., muito embora esta forma continue a existir, em menor quantidade, pelo menos até ao século IV. O aqueduto forneceria muito provavelmente água ao complexo industrial de uma tinturaria, situada a poucos metros, no Bom Sucesso.

Os trabalhos num sector próximo do aqueduto permitiram a escavação de uma cabana/abrigo integrável na pré-história recente. Trata-se de uma estrutura da qual se identificou apenas parte de um dos muros, e que provavelmente teria uma planta elipsoidal. A esta estrutura, constituída por pedras de médias e grandes dimensões, encontra-se associada uma “bolsa” de forma circular, escavada no substrato rochoso, com três buracos de poste na sua base. Junto à parede Norte identificou-se uma lareira. A cultura material é essencialmente constituída por elementos cerâmicos e líticos. Para além das cerâmicas de paredes lisas, destacam-se as de nomenclatura campaniforme, vasos e caçoilas com uma decoração na sua grande maioria incisa. No que se refere aos líticos, surgem produtos alongados, lâminas e lamelas, bem como uma presença significativa de lascas, surgindo também um elemento de foice, tipologia associada a contextos da Idade do bronze. Uma análise preliminar parece indicar estarmos perante contextos datados de uma época de transição entre o Calcolítico final e o Bronze inicial.              

Num terreno situado a SE da villa romana foi possível detectar, no seu limite Este, três estruturas em pedra seca, construídas em calcário e arenito. Duas destas estruturas limitam, a Sul, uma vala escavada no substrato rochoso (arenito) que se desenvolve com uma orientação Norte-Sul. Ainda associado a estas estruturas surge um poço construído em pedra calcária com cerca de 1,10m de diâmetro.   

Em termos funcionais o nosso conhecimento sobre os vestígios postos a descoberto está algo limitado pelo facto das estruturas detectadas se desenvolverem para Sul, área não afectada pela construção e, por conseguinte, não escavada, o que não permitiu a percepção integral do desenvolvimento destas construções. As características das estruturas e a quantidade de pedras pertencentes ao derrube destas, deixa antever tratarem-se não de paredes de habitações, mas sim de muros de limitação do que parece ser um complexo agrícola. O aparecimento de uma pia no centro de um recinto que parece vedado, pelo menos no seu limite Este e Oeste, associada a uma vala de condução de água, leva-nos a acreditar estarmos perante uma estrutura de cerca para gado, ou outra actividade associada à prática agrícola. O aparecimento do poço corrobora esta ideia.    

Em termos cronológicos, os materiais detectados encontram-se muito rolados e são, numa análise preliminar, de cronologia romana, séculos IV/V, embora a grande maioria do material arqueológico recolhido seja cerâmica de construção e material de cronologia duvidosa, visto tratar-se de cerâmica comum de larga prevalência temporal.

No extremo Oeste deste terreno, foi identificada uma necrópole associada à villa romana do Alto do Cidreira, sendo postas a descoberto 11 inumações, das quais 10 foram exumadas, e 3 sepulturas de criança já sem quaisquer vestígios osteológicos. As sepulturas encontravam-se escavadas em parte no substrato rochoso, não possuindo a sua maioria qualquer cobertura, excepto quatro, cujas coberturas variam entre a utilização de tijoleira, telha de canudo (imbrex), lajes de calcário e uma placa de leós (esta encontrava-se já bastante destruída, fruto de profundos revolvimentos efectuados na área do enterramento).

Dos 10 enterramentos exumados, 1 é infantil e 9 são adultos, dos quais 5 são indivíduos femininos, 2 masculinos, e 3 de sexo indeterminado. Com excepção do enterramento infantil, todos eles se encontravam sensivelmente com uma orientação Norte-Sul, possuindo espólio associado, que na sua maioria passava pela colocação junto à tíbia esquerda de um potinho, uma taça e uma lucerna. Um dos enterramentos possuía igualmente uma lucerna colocada junto à cabeça. É de destacar um dos enterramentos que possui junto à tíbia esquerda dois potinhos, uma taça e uma lucerna, e junto à mão esquerda um pico em ferro indiciando que este terá sido colocado na mão do defunto. Ainda junto ao braço direito surgem três lucernas. A Este da cabeça surge, a uma cota superior, um fundo de uma taça de vidro com pé anelar, possivelmente em deposição secundária. Uma análise preliminar do espólio permite-nos enquadrar esta necrópole entre os séculos III/IV d.C.     

Num terreno situado a Norte do anteriomente referido, foi posta a descoberto uma estrutura construída em pedra calcária e arenito, unida por argamassa de cal esbranquiçada, que se desenvolve com uma orientação Norte-Sul. Possui uma largura de 1,20m. Junto ao corte Oeste surgem duas lajes de pedra calcária, desenvolvendo-se uma delas para o interior do corte. Estas lajes parecem cobrir um espaço vazio que, por limitações inerentes à própria localização da sondagem, não foi possível apurar que função teria. Julgamos que este espaço será na realidade uma caleira de condução de água e que a estrutura detectada possui igualmente funções relacionadas com a condução de água.   

Mais a Norte foram identificados e escavados 5 silos de cronologia medieval. A escavação do interior detes silos revelou perspectivas de enchimento distintas. Assim, foi possível observar que três dos silos foram, após o seu abandono, utilizados como lixeiras, surgindo material cerâmico pertencente a recipientes de armazenamento e confecção de alimentos e sobretudo material de construção como telha e tijolo. A par deste material surgiu ainda escasso material malacológico e osteológico. Num dos silos foi possível exumar junto ao fundo um enterramento de cão em conexão anatómica. No que se refere à tipologia e cronologia dos materiais arqueológicos recolhidos, numa análise preliminar, revelam tratar-se de recipientes de cozinha, como panelas, bilhas, cântaros e taças, alguns deles ostentando pintura a branco e vermelho, atribuída ao período Islâmico. Os restantes silos foram, quase exclusivamente, preenchidos com pedras, algumas delas aparelhadas, indiciando apenas a preocupação de os encher o mais rápido possível, não revelando praticamente nenhum material arqueológico excepto alguns fragmentos de telha e tijolo.

 A observação geral dos dados obtidos é demonstrativa da riqueza e importância dos elementos colocados a descoberto. Os resultados alcançados,  permitem dar um passo em frente no conhecimento do povoamento antigo da região, bem como mostrar a importância do valor patrimonial existente na zona em redor da villa romana do Alto do Cidreira (Cascais).

Responsável pelo Projecto: Nuno Neto


Artigos relacionados:

"Intervenção Arqueológica ZEP da Villa romana do Alto do Cidreira (Cascais)"
Publicado nas actas das jornadas de arqueologia do vale do Tejo em território Português (Centro Português de Geo-História e Pré-História – 2009).
"Intervenção Arqueológica realizada na Zona de Protecção da Villa romana do Alto do Cidreira - Cascais"  
Publicado no Boletim de Cascais (2008).
"Cerâmicas Medievais do Alto do Cidreira, Cascais" 
Poster apresentado em "O Gharb Al-Ândaluz - problemáticas e novos contributos em torno da cerâmica", Mértola (2009)
"Intervenção Arqueológica no Alto do Cidreira, Cascais - Um exemplo de interacção Arqueologia - Autarquia - Promotores" 
Publicado nas actas do Encontro Arqueologia e Autarquias promovido pela Câmara Municipal de Cascais em dezembro de 2008.



btn facebook

  • BANNERlevantamentosNEW
  • BANNERprojetoseventos

Arquivo

Arqueologia no Bairro - Antigo Mercado de Belém

Arqueologia no Bairro - Antigo Mercado de Belém

Conferência Fortaleza de Nossa Senhora de Cascais - Vigia de Lisboa, Guarda de Cascais

Conferência Fortaleza de Nossa Senhora de Cascais - Vigia de Lisboa, Guarda de Cascais

Apresentação da 20ª edição impressa da Revista Al-Madan

Apresentação da 20ª edição impressa da Revista Al-Madan

Protocolo entre FCSH-UNL e Neoépica,Lda

Protocolo entre FCSH-UNL e Neoépica,Lda

Problemáticas da arqueologia urbana: a experiência da Neoépica

Problemáticas da arqueologia urbana: a experiência da Neoépica

Terramoto de Lisboa. Arqueologia e História

Terramoto de Lisboa. Arqueologia e História

O Povoado Pré-Histórico da Travessa das Dores

O Povoado Pré-Histórico da Travessa das Dores

I Encontro de Arqueologia de Lisboa

I Encontro de Arqueologia de Lisboa

Contextos Funerários da Idade do Bronze no sítio do Terraço das Laranjeiras - Vale do Sabor

Contextos Funerários da Idade do Bronze no sítio do Terraço das Laranjeiras - Vale do Sabor

Seminário Lisboa Subterrânea - Trajectos na Arqueologia Lisboeta Contemporânea

Seminário Lisboa Subterrânea - Trajectos na Arqueologia Lisboeta Contemporânea

Achados Arqueológicos do Carmo

Achados Arqueológicos do Carmo

Liceu Passos Manuel distinguido com o prémio Europa Nostra 2013 na área da Conservação do Património

Liceu Passos Manuel distinguido com o prémio Europa Nostra 2013 na área da Conservação do Património

Sistema de lavagem de material da Neoépica

Sistema de lavagem de material da Neoépica

A Neoépica no I Congresso de Arqueologia da Associação Portuguesa de Arqueólogos

A Neoépica no I Congresso de Arqueologia da Associação Portuguesa de Arqueólogos

Velhos e Novos Mundos. Estudos de Arqueologia Moderna.

Velhos e Novos Mundos. Estudos de Arqueologia Moderna.

Artigo da Neoépica na Cira Arqueologia nº2

Artigo da Neoépica na Cira Arqueologia nº2

Artigos da Neoépica na Revista PARC

Artigos da Neoépica na Revista PARC

A Neoépica no Congresso Internacional de Faiança Portuguesa

A Neoépica no Congresso Internacional de Faiança Portuguesa

Nas rotas do mundo - A Faiança Portuguesa (séculos XVI-XVIII)

Nas rotas do mundo - A Faiança Portuguesa (séculos XVI-XVIII)

Arqueologia nas Escolas

Arqueologia nas Escolas

1º Congresso Internacional de Faiança Portuguesa

1º Congresso Internacional de Faiança Portuguesa

«
»

Vale Frio, Aljustrel

2009
Vale Frio, Aljustrel

Travessa das Dores, Lisboa

2013
Travessa das Dores, Lisboa

Travessa da Pena, Lisboa

2012
Travessa da Pena, Lisboa

Travessa da Boa Hora à Ajuda 25, Lisboa

2013
Travessa da Boa Hora à Ajuda 25, Lisboa

Torre Velha 11 (Barragem da Lage), Serpa

2009
 Torre Velha 11 (Barragem da Lage), Serpa

Terraços do Carmo, Lisboa

2013
Terraços do Carmo, Lisboa

Terras do Javardo, Cascais

2014
Terras do Javardo, Cascais

Sistema de Abastecimento de Água do Município do Sardoal

2014
Sistema de Abastecimento de Água do Município do Sardoal

Rua Vítor Cordon, Lisboa (2ª Fase)

2015
Rua Vítor Cordon, Lisboa (2ª Fase)

Rua Vítor Cordon, Lisboa (1ª Fase)

2010
Rua Vítor Cordon, Lisboa (1ª Fase)

Rua Vieira Portuense, Lisboa

2013
Rua Vieira Portuense, Lisboa

Rua Ribeiro Sanches 67, Lisboa

2016
Rua Ribeiro Sanches 67, Lisboa

Rua dos Bacalhoeiros, Lisboa

2007
Rua dos Bacalhoeiros, Lisboa

Rua dos Bacalhoeiros 99-115A, Lisboa

2015
Rua dos Bacalhoeiros 99-115A, Lisboa

Rua do Salitre 122, Lisboa

2014
Rua do Salitre 122, Lisboa

Rua do Ouro 100, Lisboa

2014
Rua do Ouro 100, Lisboa

Rua do Jardim nº21, Lagos

2006
Rua do Jardim nº21, Lagos

Rua do Arsenal 60, Lisboa

2013
Rua do Arsenal 60, Lisboa

Rua Direita 14, Óbidos

2014
Rua Direita 14, Óbidos

Rua de Buenos Aires, Lisboa

2010
Rua de Buenos Aires, Lisboa

Rua das Escolas Gerais, Lisboa

2006
Rua das Escolas Gerais, Lisboa

Rua das Amoreiras 79/87, Lisboa

2014
Rua das Amoreiras 79/87, Lisboa

Rua da Adiça, Lisboa

2014
Rua da Adiça, Lisboa

Rua Covas do Carrascal 185, Cascais

2015
Rua Covas do Carrascal 185, Cascais

Rua Cândido dos Reis, Almada

2011
Rua Cândido dos Reis, Almada

Rua António Maria Cardoso, Lisboa (3ª Fase)

2013
Rua António Maria Cardoso, Lisboa (3ª Fase)

Rua António Maria Cardoso, Lisboa (2ª Fase)

2013
Rua António Maria Cardoso, Lisboa (2ª Fase)

Rua António Maria Cardoso, Lisboa (1ª Fase)

2010
 Rua António Maria Cardoso, Lisboa (1ª Fase)

Quinta Nova de Santo António, Carcavelos

2009
Quinta Nova de Santo António, Carcavelos

Quinta Nova 2, Évora

2008
Quinta Nova 2, Évora

Quinta de Cima, Colares(Sintra)

2014
Quinta de Cima, Colares(Sintra)

Pousada na Praça do Comércio, Lisboa

2014
Pousada na Praça do Comércio, Lisboa

Porto Torrão (1ªFase), Ferreira do Alentejo

2008
Porto Torrão (1ªFase), Ferreira do Alentejo

Porto Torrão (2ª Fase), Ferreira do Alentejo

2009
Porto Torrão (2ª Fase), Ferreira do Alentejo

Prospecção Intensiva no Baixo Sabor

2012
Prospecção Intensiva no Baixo Sabor

Pedreira nº 6346, Santarém

2010
Pedreira nº 6346, Santarém

Pedreira nº 5821, Porto de Mós

2009
 Pedreira nº 5821, Porto de Mós

Pedreira nº 5700, Porto de Mós

2009
 Pedreira nº 5700, Porto de Mós

Pedreira nº 5492, Santarém

2009
Pedreira nº 5492, Santarém

Pedreira de Vale da Mata, Alcanede

2013
Pedreira de Vale da Mata, Alcanede

Pedreira de Calcário Vale da Moita, Porto de Mós

2012
Pedreira de Calcário Vale da Moita, Porto de Mós

Pedreira Codorneiro nº 4, Alcobaça

2013
Pedreira Codorneiro nº 4, Alcobaça

Pedreira 5551, Porto de Mós

2012
Pedreira 5551, Porto de Mós

Parque de Estacionamento da Travessa da Memória, Lisboa

2010
Parque de Estacionamento da Travessa da Memória, Lisboa

Parque da Pena, Sintra

2006
Parque da Pena, Sintra

Parque de Estacionamento da Cidadela, Cascais

2006
Parque de Estacionamento da Cidadela, Cascais

Palmares Resort, Lagos

2010
 Palmares Resort, Lagos

Palácio de Monserrate, Sintra

2007
Palácio de Monserrate, Sintra

Palácio da Cidadela, Cascais

2009
 Palácio da Cidadela, Cascais

Palácio Conde-Barão de Alvito, Lisboa

2015
Palácio Conde-Barão de Alvito, Lisboa

Monte das Flores, Évora

2011
Monte das Flores, Évora

Moinho de Vento 20-1, Amadora

2008
Moinho de Vento 20-1, Amadora

Lugar do Valinho de Fátima, Ourém

2007
Lugar do Valinho de Fátima, Ourém

Largo dos Trigueiros, Lisboa

2011
Largo dos Trigueiros, Lisboa

Largo da Assunção, Cascais

2010
 Largo da Assunção, Cascais

Largo da Ajuda e Rua Azeredo Perdigão, Peniche

2007
Largo da Ajuda e Rua Azeredo Perdigão, Peniche

Instituto Hidrográfico de Lisboa

2006
Instituto Hidrográfico de Lisboa

Hotel Cais de Santarém (antigos armazéns Sommer), Lisboa

2014
Hotel Cais de Santarém (antigos armazéns Sommer), Lisboa

Fosso da Fortaleza de Nossa Senhora da Luz, Cascais

2011
Fosso da Fortaleza de Nossa Senhora da Luz, Cascais

Forte da Crismina, Cascais

2006
Forte da Crismina, Cascais

Figueiras 4, Serpa

2008
Figueiras 4, Serpa

Estudo Arqueológico SMAS, Sintra

2014
Estudo Arqueológico SMAS, Sintra

Estrada da Pena nº12, Sintra

2016
Estrada da Pena nº12, Sintra

Estrada da Pena nº 12, Sintra

2016
Estrada da Pena nº 12, Sintra

Escola Secundária Sá da Bandeira, Santarém

2009
 Escola Secundária Sá da Bandeira, Santarém

Escola Secundária Jácome Ratton, Tomar

2009
Escola Secundária Jácome Ratton, Tomar

Escola Secundária Diogo de Gouveia, Beja

2009
Escola Secundária Diogo de Gouveia, Beja

Escola Secundária de Alcácer do Sal

2009
Escola Secundária de Alcácer do Sal

Parque Urbano das Mercês, Sintra

2009
Parque Urbano das Mercês, Sintra

Entre Águas 5, Serpa

2008
Entre Águas 5, Serpa

Costa do Castelo 77, Lisboa

2015
Costa do Castelo 77, Lisboa

Corça 2, Serpa

2008
Corça 2, Serpa

Convento dos Capuchos – Tapada de D. Fernando, Sintra

2016
Convento dos Capuchos – Tapada de D. Fernando, Sintra

Construção da Nova Barragem do Alto Ceira, Pampilhosa da Serra

2013
Construção da Nova Barragem do Alto Ceira, Pampilhosa da Serra

Condomínio da Azinheira, Ferreira do Alentejo

2010
Condomínio da Azinheira, Ferreira do Alentejo

Cerro do Leiria, Tavira

2010
Cerro do Leiria, Tavira

Casa de Sta Maria, Cascais

2012
Casa de Sta Maria, Cascais

Caracterização Espeleo-Arqueológica da Pedreira Relvinha nº2 , Alcanede

2013
Caracterização Espeleo-Arqueológica da Pedreira Relvinha nº2 , Alcanede

Calçada dos Clérigos e Rua da Trindade, Sintra

2016
Calçada dos Clérigos e Rua da Trindade, Sintra

Calçada do Rio do Porto, Sintra

2013
Calçada do Rio do Porto, Sintra

Calçada do Garcia 26/32, Lisboa

2015
Calçada do Garcia 26/32, Lisboa

Beco dos Apóstolos, Lisboa

2013
Beco dos Apóstolos, Lisboa

Beco do Loureiro, Lisboa

2011
Beco do Loureiro, Lisboa

Aproveitamento Hidroeléctrico do Baixo Sabor

2012
Aproveitamento Hidroeléctrico do Baixo Sabor

Alto do Moinho Velho, Tires

2012
Alto do Moinho Velho, Tires

Alto do Cidreira, Cascais

2007
Alto do Cidreira, Cascais