Outros projectos

EntradaProjectos2009Quinta Nova de Santo António, Carcavelos
Erro
  • JUser: :_load: Não foi possível carregar o utilizador com o ID: 317

Quinta Nova de Santo António, Carcavelos

Enquadramento: intervenção arqueológica realizada na área afecta à Quinta Nova de Santo António ou dos Ingleses, referenciada na Carta Arqueológica do Concelho de Cascais com o nº 171 (CARDOSO, 1991, p.87), Carcavelos.
 
Objectivos: Por solicitação da Câmara Municipal de Cascais, os trabalhos executados tiveram como objectivos avaliar o potencial arqueológico da área em análise, procurando delimitar a área correspondente à Jazida Paleolítica, bem como detectar vestígios relacionados com anteriores ocupações do local, nomeadamente de carácter agrícola, de época moderna, relacionadas com a Quinta Nova de Santo António. Na sequência da elaboração de um plano de pormenor para o local alvo de estudo, o objectivo principal dos trabalhos realizados foi o de avaliar o potencial arqueológico da área em análise, procurando-se delimitar a área correspondente à Jazida Paleolítica localizada no extremo sul da Quinta, junto à estrada Marginal, bem como detectar vestígios relacionados com anteriores ocupações do local nomeadamente ocupações de carácter agrícola de época Moderna, relacionadas com a Quinta Nova de Santo António. O objectivo de conhecer e compreender a sequência estratigráfica presente naquele local, contribuiu para a definição da metodologia empregue.


Trabalhos: Desmatação mecânica e manual; Prospecção intensiva, numa malha fina de 5m entre prospectores; Acompanhamento da abertura de valas de diagnóstico por processos mecânicos ligeiros; realização de quatro sondagens de 4 x 2m no local onde foi identificada a jazida Paleolítica; Os vestígios arqueológicos postos a descoberto com a abertura das valas de diagnóstico, conduziram à abertura de sondagens manuais, de modo a avaliar a sua função e cronologia. Assim, foram efectuadas no Sector II, uma sondagem de 4 x 4m e no Sector V uma sondagem de 14 x 7m, tendo o lado Este desta sondagem sido aumentado em mais 3m para Norte


Materiais: A análise do material recolhido durante as diferentes fases dos trabalhos arqueológicos permitiu a inventariação de 217 fragmentos ou conjuntos de fragmentos, sendo a grande maioria composta por elementos cerâmicos e em pedra lascada.
Vinte e três números foram recolhidos aquando dos trabalhos de prospecção e abertura das valas de diagnóstico. No que diz respeito aos trabalhos de prospecção estes revelaram a presença pontual, por toda a área, de cerâmica de cronologia moderna/contemporânea. No sector I registou-se a presença de artefactos pré-históricos em todas as sondagens à excepção da sondagem IV que apenas revelou material cerâmico de cronologia moderna/contemporânea. Os materiais recolhidos no sector II correspondem aos trabalhos de escavação da Sondagem VI, que revelou uma estrutura em negativo tipo silo, encontrando-se a grande maioria dos materiais associada aos enchimentos deste. A maioria refere-se a tipologias indeterminadas: fragmentos de parede classificados como pré-históricos pela análise morfológica do tipo de pasta; ou elementos de fundo comum que se registam ao longo de toda a Pré-História recente: referimo-nos a formas como esféricos, globulares e taças. A Sondagem V do sector V revelou uma concentração de materiais associados a uma estrutura em negativo tipo fundo de cabana. A análise destes elementos mostra que estamos essencialmente perante materiais cerâmicos, surgindo igualmente escassos artefactos em pedra lascada/polida, registando-se ainda a presença vestigial de fauna malacológica. No que diz respeito ao enquadramento cronológico, o conjunto artefactual indicia uma ocupação/abandono durante a Idade do Bronze, apontando a visão de conjunto dos elementos cerâmicos mais provavelmente para o Bronze final.


Resultados: Através da análise proporcionada quer pela prospecção arqueológica realizada, quer pela abertura das valas de diagnóstico e escavação manual das sondagens, bem como pela observação do material recolhido, foi possível reunir algumas considerações acerca da sequência estratigráfica e ocupação do local.

1. Os trabalhos de desmatação e subsequente prospecção arqueológica dos diferentes sectores, não permitiram recolher quaisquer indícios materiais relevantes acerca da ocupação daquele local, exceptuando o Sector I, local onde foi detectada uma jazida paleolítica, já anteriormente intervencionada pelo Dr. Guilherme Cardoso. Esta jazida localiza-se no limite Sul do sector I, a cerca de 140m para Norte da estrada marginal. Neste local foi então possível recolher escassos artefactos líticos (lascas e restos de talhe) em quartzito e sílex, cuja dispersão se limitava à zona já anteriormente intervencionada;
2. Os trabalhos de abertura de valas de diagnóstico mecânicas permitiram a identificação de dois locais onde surgiram vestígios arqueológicos relevantes, detectados no Sector II e V, que originaram a abertura de duas sondagens de diagnóstico, com 4 x 4m e 14 x 7m respectivamente, vindo esta última posteriormente a ser alargada no seu lado Este em mais 3m para Norte;
3. No Sector I, para além das valas de diagnóstico que revelaram uma fraca potencia estratigráfica e um revolvimento bastante acentuado das diversas camadas, foram efectuadas quatro sondagens de diagnóstico manuais na área onde se verificou maior incidência de materiais arqueológicos. O objectivo da abertura destas sondagens passava por balizar a área de localização da jazida paleolítica. Deste modo, a abertura das sondagens veio comprovar que o local da jazida se limita praticamente à área da intervenção arqueológica efectuada em 1999 por Guilherme Cardoso, corroborando os dados obtidos com essa intervenção. Foi possível observar uma fraca potência estratigráfica, revelando esta um grau de revolvimento bastante elevado, surgindo escasso material arqueológico integrável na Pré-História antiga, misturado com cerâmica contemporânea. Esta evidência regista-se ao longo de todas as camadas estratigráficas observadas. Importa referir que este local no século XVIII/XIX esteve ocupado por vinha e que, já no século XX, foi ali construído um campo de golfe;
4. A escavação manual da Sondagem V, permitiu pôr a descoberto uma estrutura em negativo com cerca de 5,7m de diâmetro máximo. Os níveis de enchimento desta estrutura apresentam um espólio arqueológico que revelou uma ocupação do sítio durante a Idade do Bronze. É de referir que, à excepção de seis artefactos líticos, todos os restantes artefactos exumados correspondem a fragmentos cerâmicos na sua maioria a vasos de provisões. Acreditamos que a estrutura em negativo identificada no limite Sul da sondagem, poderá corresponder a um fundo de cabana, que teria funções muito específicas, não de habitat, mas sim de armazenamento. Esta hipótese é corroborada quer pelo aparecimento de grande número de fragmentos de vasos de provisões, quer pela ausência quase total de espólio de cariz mais doméstico (fauna mamalógica/malacológica, elementos de moagem, estruturas de combustão, entre outros) geralmente associados a estruturas de habitat.
5. A escavação manual da Sondagem VI colocou a descoberto uma estrutura negativa de planta circular com cerca de 1,10m de diâmetro, escavada no substrato geológico. A sua escavação permitiu exumar um espólio arqueológico bastante coeso cronologicamente, que revelou uma ocupação do sítio durante a Idade do Bronze final. A estrutura descrita encontra paralelos próximos numa semelhante, embora mais pequena, no Cabeço do Mouro, em Cascais, que João Luís Cardoso identificou como um silo, posteriormente utilizado como fossa de acumulação de detritos domésticos no Bronze Final (Cardoso, 2006, p. 32). Quanto à estrutura por nós encontrada não existem certezas se teria tido uma função original como silo, mas consideramos esta hipótese plausível, tendo em conta estarmos perante terrenos férteis, largamente cultivados num passado mais recente, e que devem ter sido utilizados pelo homem com o mesmo fim ao longo dos tempos. Já evidente é a constatação de um momento em que a estrutura é desactivada e utilizada como fossa de despejo, saltando à vista o grande volume de restos faunísticos, quer mamalógicos quer malacológicos e de cerâmicas bastante fragmentadas associados a intensas concentrações de cinzas e carvões.
6. A Sondagem V e a Sondagem VI, estão separadas uma da outra cerca de 500m em linha recta, sendo os materiais nelas recuperados integráveis na Idade do Bronze, provavelmente Bronze final. A análise do espólio artefactual cerâmico, permite-nos levantar a hipótese de ambos os sítios serem contemporâneos, embora tenham tipologias distintas. No entanto, os dados obtidos não nos permitem tirar grandes conclusões quanto ao tipo de povoamento presente: um grande povoado ou zonas dispersas de ocupação, tipo pequenos casais agrícolas.
O registo arqueológico mostra que ao longo do Bronze final assistiu-se à multiplicação de núcleos de carácter familiar, tipo casais agrícolas ou mesmo povoados abertos, que baseavam a sua subsistência na exploração intensiva de carácter agro-pastoril ao longo de todo o ano, produzindo excedentes que seriam comercializados. Entre os produtos largamente produzidos contam-se os cereais (trigo), que ultrapassariam as necessidades de consumo destas pequenas comunidades, sendo frequente o aparecimento de estruturas de armazenagem tipo silo, semelhantes ao identificado durante os trabalhos arqueológicos. São vários os sítios de ocupação aberta conhecidos na região, de que destacamos: Cabeço do Mouro (Cascais), cujos trabalhos arqueológicos revelaram uma estrutura negativa tipo silo semelhante à agora posta a descoberto (Cardoso, 2006, p. 32); Castelo dos Mouros (Sintra) (CARDOSO, 1997/1998); Terras do Javardo (Arneiro-Cascais) (CARDOSO, 1991, p.86) (NETO e REBELO, 2008); Povoado do Bronze Final da Tapada da Ajuda, Lisboa com datações de radiocarbono entre inícios do séc. XIV e os finais do séc. XII a.C. (Cardoso, Silva, 2004); Povoado de altura do Bronze Final de Cabeço dos Moinhos, Mafra (Vicente, Andrade, 1971); Povoado do Bronze Final do Alto das Cabeças (Leião, Oeiras) – povoado de encosta suave numa zona de solos muito férteis, onde apareceram numerosos elementos denticulados de foice, a demonstrar a sua vertente agrícola (Cardoso, Cardoso, 1996).

Responsáveis pelo Projecto: Nuno Neto, Cristina Gonzalez e Raquel Santos

btn facebook

  • BANNERlevantamentosNEW
  • BANNERprojetoseventos

Arquivo

Sob a terra e as Águas

Sob a terra e as Águas

Arqueologia no Bairro - Antigo Mercado de Belém

Arqueologia no Bairro - Antigo Mercado de Belém

Conferência Fortaleza de Nossa Senhora de Cascais - Vigia de Lisboa, Guarda de Cascais

Conferência Fortaleza de Nossa Senhora de Cascais - Vigia de Lisboa, Guarda de Cascais

Apresentação da 20ª edição impressa da Revista Al-Madan

Apresentação da 20ª edição impressa da Revista Al-Madan

Protocolo entre FCSH-UNL e Neoépica,Lda

Protocolo entre FCSH-UNL e Neoépica,Lda

Problemáticas da arqueologia urbana: a experiência da Neoépica

Problemáticas da arqueologia urbana: a experiência da Neoépica

Terramoto de Lisboa. Arqueologia e História

Terramoto de Lisboa. Arqueologia e História

O Povoado Pré-Histórico da Travessa das Dores

O Povoado Pré-Histórico da Travessa das Dores

I Encontro de Arqueologia de Lisboa

I Encontro de Arqueologia de Lisboa

Contextos Funerários da Idade do Bronze no sítio do Terraço das Laranjeiras - Vale do Sabor

Contextos Funerários da Idade do Bronze no sítio do Terraço das Laranjeiras - Vale do Sabor

Seminário Lisboa Subterrânea - Trajectos na Arqueologia Lisboeta Contemporânea

Seminário Lisboa Subterrânea - Trajectos na Arqueologia Lisboeta Contemporânea

Achados Arqueológicos do Carmo

Achados Arqueológicos do Carmo

Liceu Passos Manuel distinguido com o prémio Europa Nostra 2013 na área da Conservação do Património

Liceu Passos Manuel distinguido com o prémio Europa Nostra 2013 na área da Conservação do Património

Sistema de lavagem de material da Neoépica

Sistema de lavagem de material da Neoépica

A Neoépica no I Congresso de Arqueologia da Associação Portuguesa de Arqueólogos

A Neoépica no I Congresso de Arqueologia da Associação Portuguesa de Arqueólogos

Velhos e Novos Mundos. Estudos de Arqueologia Moderna.

Velhos e Novos Mundos. Estudos de Arqueologia Moderna.

Artigo da Neoépica na Cira Arqueologia nº2

Artigo da Neoépica na Cira Arqueologia nº2

Artigos da Neoépica na Revista PARC

Artigos da Neoépica na Revista PARC

A Neoépica no Congresso Internacional de Faiança Portuguesa

A Neoépica no Congresso Internacional de Faiança Portuguesa

Nas rotas do mundo - A Faiança Portuguesa (séculos XVI-XVIII)

Nas rotas do mundo - A Faiança Portuguesa (séculos XVI-XVIII)

Arqueologia nas Escolas

Arqueologia nas Escolas

1º Congresso Internacional de Faiança Portuguesa

1º Congresso Internacional de Faiança Portuguesa

«
»

Vale Frio, Aljustrel

2009
Vale Frio, Aljustrel

Travessa das Dores, Lisboa

2013
Travessa das Dores, Lisboa

Travessa da Pena, Lisboa

2012
Travessa da Pena, Lisboa

Travessa da Boa Hora à Ajuda 25, Lisboa

2013
Travessa da Boa Hora à Ajuda 25, Lisboa

Torre Velha 11 (Barragem da Lage), Serpa

2009
 Torre Velha 11 (Barragem da Lage), Serpa

Terraços do Carmo, Lisboa

2013
Terraços do Carmo, Lisboa

Terras do Javardo, Cascais

2014
Terras do Javardo, Cascais

Sistema de Abastecimento de Água do Município do Sardoal

2014
Sistema de Abastecimento de Água do Município do Sardoal

Rua Vítor Cordon, Lisboa (2ª Fase)

2015
Rua Vítor Cordon, Lisboa (2ª Fase)

Rua Vítor Cordon, Lisboa (1ª Fase)

2010
Rua Vítor Cordon, Lisboa (1ª Fase)

Rua Vieira Portuense, Lisboa

2013
Rua Vieira Portuense, Lisboa

Rua Ribeiro Sanches 67, Lisboa

2016
Rua Ribeiro Sanches 67, Lisboa

Rua dos Bacalhoeiros, Lisboa

2007
Rua dos Bacalhoeiros, Lisboa

Rua dos Bacalhoeiros 99-115A, Lisboa

2015
Rua dos Bacalhoeiros 99-115A, Lisboa

Rua do Salitre 122, Lisboa

2014
Rua do Salitre 122, Lisboa

Rua do Ouro 100, Lisboa

2014
Rua do Ouro 100, Lisboa

Rua do Jardim nº21, Lagos

2006
Rua do Jardim nº21, Lagos

Rua do Arsenal 60, Lisboa

2013
Rua do Arsenal 60, Lisboa

Rua Direita 14, Óbidos

2014
Rua Direita 14, Óbidos

Rua de Buenos Aires, Lisboa

2010
Rua de Buenos Aires, Lisboa

Rua das Escolas Gerais, Lisboa

2006
Rua das Escolas Gerais, Lisboa

Rua das Amoreiras 79/87, Lisboa

2014
Rua das Amoreiras 79/87, Lisboa

Rua da Adiça, Lisboa

2014
Rua da Adiça, Lisboa

Rua Covas do Carrascal 185, Cascais

2015
Rua Covas do Carrascal 185, Cascais

Rua Cândido dos Reis, Almada

2011
Rua Cândido dos Reis, Almada

Rua António Maria Cardoso, Lisboa (3ª Fase)

2013
Rua António Maria Cardoso, Lisboa (3ª Fase)

Rua António Maria Cardoso, Lisboa (2ª Fase)

2013
Rua António Maria Cardoso, Lisboa (2ª Fase)

Rua António Maria Cardoso, Lisboa (1ª Fase)

2010
 Rua António Maria Cardoso, Lisboa (1ª Fase)

Quinta Nova de Santo António, Carcavelos

2009
Quinta Nova de Santo António, Carcavelos

Quinta Nova 2, Évora

2008
Quinta Nova 2, Évora

Quinta de Cima, Colares(Sintra)

2014
Quinta de Cima, Colares(Sintra)

Pousada na Praça do Comércio, Lisboa

2014
Pousada na Praça do Comércio, Lisboa

Porto Torrão (1ªFase), Ferreira do Alentejo

2008
Porto Torrão (1ªFase), Ferreira do Alentejo

Porto Torrão (2ª Fase), Ferreira do Alentejo

2009
Porto Torrão (2ª Fase), Ferreira do Alentejo

Prospecção Intensiva no Baixo Sabor

2012
Prospecção Intensiva no Baixo Sabor

Pedreira nº 6346, Santarém

2010
Pedreira nº 6346, Santarém

Pedreira nº 5821, Porto de Mós

2009
 Pedreira nº 5821, Porto de Mós

Pedreira nº 5700, Porto de Mós

2009
 Pedreira nº 5700, Porto de Mós

Pedreira nº 5492, Santarém

2009
Pedreira nº 5492, Santarém

Pedreira de Vale da Mata, Alcanede

2013
Pedreira de Vale da Mata, Alcanede

Pedreira de Calcário Vale da Moita, Porto de Mós

2012
Pedreira de Calcário Vale da Moita, Porto de Mós

Pedreira Codorneiro nº 4, Alcobaça

2013
Pedreira Codorneiro nº 4, Alcobaça

Pedreira 5551, Porto de Mós

2012
Pedreira 5551, Porto de Mós

Parque de Estacionamento da Travessa da Memória, Lisboa

2010
Parque de Estacionamento da Travessa da Memória, Lisboa

Parque da Pena, Sintra

2006
Parque da Pena, Sintra

Parque de Estacionamento da Cidadela, Cascais

2006
Parque de Estacionamento da Cidadela, Cascais

Palmares Resort, Lagos

2010
 Palmares Resort, Lagos

Palácio de Monserrate, Sintra

2007
Palácio de Monserrate, Sintra

Palácio da Cidadela, Cascais

2009
 Palácio da Cidadela, Cascais

Palácio Conde-Barão de Alvito, Lisboa

2015
Palácio Conde-Barão de Alvito, Lisboa

Monte das Flores, Évora

2011
Monte das Flores, Évora

Moinho de Vento 20-1, Amadora

2008
Moinho de Vento 20-1, Amadora

Lugar do Valinho de Fátima, Ourém

2007
Lugar do Valinho de Fátima, Ourém

Largo dos Trigueiros, Lisboa

2011
Largo dos Trigueiros, Lisboa

Largo da Assunção, Cascais

2010
 Largo da Assunção, Cascais

Largo da Ajuda e Rua Azeredo Perdigão, Peniche

2007
Largo da Ajuda e Rua Azeredo Perdigão, Peniche

Instituto Hidrográfico de Lisboa

2006
Instituto Hidrográfico de Lisboa

Hotel Cais de Santarém (antigos armazéns Sommer), Lisboa

2014
Hotel Cais de Santarém (antigos armazéns Sommer), Lisboa

Fosso da Fortaleza de Nossa Senhora da Luz, Cascais

2011
Fosso da Fortaleza de Nossa Senhora da Luz, Cascais

Forte da Crismina, Cascais

2006
Forte da Crismina, Cascais

Figueiras 4, Serpa

2008
Figueiras 4, Serpa

Estudo Arqueológico SMAS, Sintra

2014
Estudo Arqueológico SMAS, Sintra

Estrada da Pena nº 12, Sintra

2016
Estrada da Pena nº 12, Sintra

Escola Secundária Sá da Bandeira, Santarém

2009
 Escola Secundária Sá da Bandeira, Santarém

Escola Secundária Jácome Ratton, Tomar

2009
Escola Secundária Jácome Ratton, Tomar

Escola Secundária Diogo de Gouveia, Beja

2009
Escola Secundária Diogo de Gouveia, Beja

Escola Secundária de Alcácer do Sal

2009
Escola Secundária de Alcácer do Sal

Parque Urbano das Mercês, Sintra

2009
Parque Urbano das Mercês, Sintra

Entre Águas 5, Serpa

2008
Entre Águas 5, Serpa

Costa do Castelo 77, Lisboa

2015
Costa do Castelo 77, Lisboa

Corça 2, Serpa

2008
Corça 2, Serpa

Convento dos Capuchos – Tapada de D. Fernando, Sintra

2016
Convento dos Capuchos – Tapada de D. Fernando, Sintra

Construção da Nova Barragem do Alto Ceira, Pampilhosa da Serra

2013
Construção da Nova Barragem do Alto Ceira, Pampilhosa da Serra

Condomínio da Azinheira, Ferreira do Alentejo

2010
Condomínio da Azinheira, Ferreira do Alentejo

Cerro do Leiria, Tavira

2010
Cerro do Leiria, Tavira

Casa de Sta Maria, Cascais

2012
Casa de Sta Maria, Cascais

Caracterização Espeleo-Arqueológica da Pedreira Relvinha nº2 , Alcanede

2013
Caracterização Espeleo-Arqueológica da Pedreira Relvinha nº2 , Alcanede

Calçada dos Clérigos e Rua da Trindade, Sintra

2016
Calçada dos Clérigos e Rua da Trindade, Sintra

Calçada do Rio do Porto, Sintra

2013
Calçada do Rio do Porto, Sintra

Calçada do Garcia 26/32, Lisboa

2015
Calçada do Garcia 26/32, Lisboa

Beco dos Apóstolos, Lisboa

2013
Beco dos Apóstolos, Lisboa

Beco do Loureiro, Lisboa

2011
Beco do Loureiro, Lisboa

Aproveitamento Hidroeléctrico do Baixo Sabor

2012
Aproveitamento Hidroeléctrico do Baixo Sabor

Alto do Moinho Velho, Tires

2012
Alto do Moinho Velho, Tires

Alto do Cidreira, Cascais

2007
Alto do Cidreira, Cascais